segunda-feira, 30 de julho de 2012

Crer em maluquices é parte da natureza humana, afirma cético.


Benjamin Radford, investigador de supostas ocorrências paranormais e editor da revista americana "Skeptical Inquirer", confessa sem muito constrangimento que tem um carinho especial pelos chupa-cabras, supostos monstros destruidores de rebanhos da América Latina.
Já os contatos com pessoas que acreditam piamente ter sido sequestradas por extraterrestres não foram tão divertidos, ao menos na experiência desse "cético profissional". "Eles são a minha maior fonte de ameaças de morte", contou ele em debate na Folha na última sexta.
Radford participou de uma conversa com leitores do jornal, em mesa-redonda sobre pensamento crítico, ceticismo e ciência na qual também estavam presentes Kentaro Mori, editor do site "Ceticismo Aberto", e este jornalista.

MISSÃO: ENTENDER

Nascido no Novo México e formado em psicologia, Radford, 41, faz parte do quadro de editores da "Skeptical Inquirer" desde 1997, período durante o qual também ajudou a investigar supostos fenômenos que a ciência não conseguiria explicar -de fantasmas a monstros em lagos- Estados Unidos afora.
Ele recusa, porém, o rótulo de desmancha-prazeres ou de sujeito de cabeça fechada. "Minha missão não é desmascarar ou desprovar os fenômenos, mas tentar entendê-los", diz. A formação em psicologia, segundo ele, ajuda a levar em conta as predisposições da mente humana que acabam levando as pessoas a acreditar de forma pouco crítica em supostos fenômenos sobrenaturais.
"Eu acho que essas crenças sempre continuarão conosco, elas são parte da condição humana", resume.

DELÍRIO DE DAWKINS

Talvez por ter isso na cabeça, Radford afirma não ficar muito à vontade com a associação entre conhecimento científico e ateísmo defendida por alguns dos mais influentes divulgadores de ciência do mundo, como o zoólogo britânico Richard Dawkins. Para Radford, "forçar as pessoas a escolherem um lado, ou a ciência ou a religião, pode ser contraproducente, e discordo de Dawkins nesse ponto".
"Não gosto da posição binária, de estar comigo ou contra mim. Se você é religioso, para mim tudo bem. Vou continuar dormindo de noite sem problema e não vou tentar converter você", declarou.
Ele afirma conhecer céticos muito rigorosos que, mesmo assim, acreditam em Deus. "Por outro lado, é preciso reconhecer o trabalho fantástico em favor da ciência que Dawkins faz ao explicar a teoria da evolução para o público", ressalta.
Durante a conversa, ele se revelou pessimista em relação à popularidade atual do pensamento crítico e da ciência. "Uma coisa que claramente não está dando certo é a educação", disse ele. "Precisamos fazer com que o pensamento crítico seja uma ferramenta para a vida, ensinada nas escolas, como parte integrante das disciplinas."
O clima descontraído do debate permitiu até uma exibição pública de tatuagens inspiradas pela ciência: um dos presentes na plateia resolveu mostrar o desenho de um átomo em seu pulso, o que levou Radford a mostrar a tatuagem de um microscópio em seu peito.
"Acho que o microscópio é um bom símbolo do que tento realizar com meu trabalho", explicou ele.
(fonte: caderno de Ciência, FSP - 30 Julho 2012)

domingo, 29 de julho de 2012

sábado, 28 de julho de 2012

Igreja ou biblioteca, o que você prefere ter perto de casa?

Um dos meus temas favoritos, fotos de antigas igrejas transformadas em coisas mais úteis para a humanidade.


O exemplo de hoje vem de Buffalo, nos Estados Unidos.


A imponente e centenária construção com seus belos vitrais estava perto da demolição em 1985, por falta de fiéis.
Mas foi salva e transformada em escola e biblioteca da King Center Charter School, um centro educacional municipal.


Tenho postado aqui igrejas da Holanda, Inglaterra e outros países que foram desativadas, vendidas e adaptadas como lojas, restaurantes, locais para evento, livrarias e bibliotecas.


O que você prefere ter perto da sua casa, uma igreja... ou uma linda biblioteca como essa?

A Terra e a Lua vistas de Mercúrio, imagem que faz pensar.


Essa foto espetacular faz a gente pensar em como somos pequenos.
Minúsculos.
Insignificantes.
Mesmo de tão perto, de um planeta vizinho, já somos apenas uma bolinha luminosa.
Se de lá olharmos para Júpiter ele será apenas um ponto de luz.
Plutão, só com telescópio e nem saímos ainda do sistema solar, que é apenas um dentre bilhões de sistemas estelares dentro de uma das bilhões de galáxias.
Se a Terra já é tão pequena, nós, seres humanos, somos o que em termos universais?


Uma vida microscópica em um planetinha rochoso que gira ao redor de uma estrela comum.

A luz viaja a impensáveis 300 mil km por segundo e mesmo se conseguíssemos viajar a uma velocidade perto dessa ainda assim levaríamos 4 anos apenas para chegar à estrela mais próxima da nossa, aqui, bem ao lado, nesse nosso mesmo cantinho da Via Lactea.


Para irmos até o outro lado da nossa galáxia levaria, a essa velocidade absurda, uns 100 mil anos.
E para visitar uma linda galáxia como Andromeda, aqui, vizinha nossa, teriamos que viajar aproximadamente... 3 milhões de anos e ainda estaríamos aqui pelo bairro...

Mas mesmo assim pessoas acreditam que um ser mágico criou todo o universo em 6 dias e desde então passa seu tempo controlando se cada um dos bilhões de seres minúsculos que ele criou estão ou não cumprindo suas regras, para então resolver seus destinos quando morrerem.


A realidade do universo é muito mais maravilhosa que qualquer fantasia.
E com uma vantagem insuperável:  é verdade.






terça-feira, 24 de julho de 2012

Mais uma maravilhosa ex-igreja da Holanda.

A Holanda, a Suécia, a República Tcheca, dentre outros, são exemplos de países onde o crescimento do ateísmo é concretamente comprovado pela quantidade de igrejas que são fechadas e repassadas para outras atividades.



Em Praga as ex-igrejas são utilizadas para concertos de música clássica, uma destinação muito nobre e adequada.
Na Holanda há exemplos magníficos de adaptações para restaurantes, night clubs, bibliotecas e lojas diversas.
Estas fotos são de uma das mais maravilhosas livrarias do mundo, uma linda construção do século XIII em estilo gótico mendicante.
Vejam o ex-altar convertido (ops!) em um charmoso café:




Onde há mais educação, menos ilusão.



domingo, 22 de julho de 2012

De onde surgiram tantos ateus?


Uma pesquisa na Universidade de Oxford mostrou que cerca de 48% dos estudantes não acreditam em Deus. Talvez isso não seja tão surpreendente – a maioria das pessoas acredita que ateus sejam bem instruídos, principalmente os de Oxford que têm como professor o ícone do ateísmo Richard Dawkins.
Mas há algumas curiosidades sobre isso quando a “população amostral” da pesquisa é o mundo e suas diferentes culturas, não Oxford. Estudos mostraram que há, sim, uma relação entre estudo e a fé em Deus, mas que o ateísmo é mais forte naqueles que têm apenas o ensino médio completo do que naqueles com nível superior completo.
A pesquisa também indicou que as pessoas com mais estudo tendem a acreditarem em coisas mais estranhas. 29% das pessoas com apenas o nível fundamental completo acreditavam em telepatia, contra 51,8% das pessoas com nível superior completo.
Essas pesquisas mostraram, também, que a questão religiosa não depende apenas do nível educacional, mas do sexo, do tipo de cultura e da idade dos entrevistados. Então os não-ateus podem ficar aliviados: já não há mais a crença de que eles sejam menos inteligentes que os ateus.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Amarração do amor: saiba como funciona esse golpe.


Pelas mensagens que chegam ao blog e pelo que leio nos jornais vejo que continuam muito ativas as espertalhonas que vendem serviços de amarração do amor do tipo “trago seu amor de volta ou devolvo seu dinheiro”.



Alguma vez você já se perguntou como afinal isso funciona?

É simples e sofisticado ao mesmo tempo, é análise probabilística espertamente conjugada com sensibilidade e conhecimento do comportamento humano.
A isso some-se muita cara de pau e nenhuma dó ou piedade pelas pessoas enganadas.
É um golpe e precisa ser combatido, faço minha parte mostrando aqui como a farsante opera, quem sabe assim menos pessoas caem nessa.

Começa quando aparecem no bairro as faixas anunciando o serviço.
A propaganda dá certo, em qualquer lugar sempre haverá casais com problemas nos mais diversos estágios, de briguinhas a divórcios litigiosos e a promessa de que alguém pode fazer a pessoa que te deixou voltar para você é irresistível para ouvidos carentes e crentes...
Quando alguém fala o que a gente quer ouvir...a lógica e o bom senso são rapidamente deixados de lado, a ilusão, mesmo que falsa, é muito mais atraente.

Bem, digamos que a bruxa faça o trabalho de amarração para 10 novos clientes, pessoas que querem trazer seus amados de volta.

Algum tempo depois, digamos um mês, o curso natural da vida terá feito alguns casais reatarem, outros não.
E isso vai acontecer com ou sem as amarrações da bruxa, claro.
É da vida, o ciclo normal das relações e das pessoas.

Digamos que 4 casais tenham reatado e 6 não, só por hipótese.

As 4 clientes da "bruxa" que conseguiram seu objetivo estarão felizes e satisfeitas, farão muita propaganda para suas amigas e assim vão gerar novos negócios para ela.

As seis que não reataram com seus amores ficarão decepcionadas.
Algumas, por vergonha, nem sequer voltarão para pedir o dinheiro de volta nem falarão muito sobre isso, para não ter que admitir que caíram em um golpe ou, pior, que seus amados não voltam nem com trabalho forte.

Digamos que das seis a metade aja assim.

As outras três voltarão à "bruxa" para pedir seu dinheiro de volta, conforme a promessa da propaganda. Em alguns casos a "bruxa" devolverá sem hesitar, explicando que as entidades espirituais algumas vezes não a atendem, que é assim mesmo, que ela lamenta...

A grande sacada é que o saldo é sempre positivo para o  golpista, digo, "bruxa", faça as contas: ela fez dez trabalhos, devolveu o dinheiro para três e ficou com sete. Mesmo que você piore as proporções vai continuar sendo um bom negócio, ela vai sempre ficar com uma parte do dinheiro, e sem fazer nada!

Algumas vezes ela não ficará com sete mas seis ou cinco ou até menos mas ela nunca terá que devolver as dez porque a probabilidade de nenhum casal reatar é muito pequena.

Ela assim vive bem e feliz durante um tempo na redondeza... até que a clientela começa a rarear, por esgotamento.
Ela então se muda, espalha suas faixas no novo bairro (ou nova cidade) e recomeça o ciclo, com novo telefone e novo codinome (Bruxa, Maga, mestre, etc).

Simples assim. Na verdade, genial.

Agora pense: no  que você acreditava? Que havia mesmo um exercito de espíritos desencarnados fazendo as pessoas voltarem ou não para seus ex-amores dependendo dos valores pagos a uma entidade que os representa na Terra?
Cupidos espirituais remunerados? Sério?



E, sinto dizer, não é nada muito diferente do que fazem os astrológos, as leitoras de búzios, cartomantes e numerólogas, o truque é basicamente o mesmo.
Um tolo e seu dinheiro cedo se separam.


quarta-feira, 18 de julho de 2012

A mentira da pomba de D. Eugenio Sales.



Causou grande agitação nos meios religiosos a cena "milagrosa" da pomba branca pousada no caixão de D. Eugênio. 
Não que ela tenha pousado apenas rapidamente, ela ficou ali muito tempo e com isso deu aos crentes uma "prova inequívoca" da santidade do morto.
Seria, segundo os mais fanáticos, a presença do espírito santo, homenageando o "santo cardeal".


Bem, isso até o programa Fantastico mostrar que a pomba, na verdade, foi comprada por um fiel e literalmente colocada ali em cima do caixão. 
Tratava-se de uma pomba criada em cativeiro e que raramente voa.
Ao entrevistarem um especialista nessas aves vejam o que ele declarou:

“Essa aqui é uma variação albina, um animal totalmente sem pigmentação. Ele não é criado para alçar voos longos. Esse animal que ficou em cima do caixão é um bicho que já está acostumado com presença humana então não vai se assustar fácil” diz Guilherme Brito, ornitólogo do museu Nacional. 




Mais um "milagre" desvendado, quem quiser conhecer a estória toda, segue o link:


http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1681385-15605,00.html


Religião: se você pensar, refletir, analisar só um pouquinho... você cai fora.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

A mentira da marcha para Jesus.

Há muito tempo os eventos de rua no Brasil tem seu público "estimado" na base do chutômetro, sem qualquer base científica.
Isso ocorria por dois motivos: interesses escusos e falta de metodologia melhor.
Foi assim que a parada gay já teve público anunciado de milhões de pessoas.
Da mesma forma a passeata dos evangélicos sempre alegou ser acompanhada por milhões de fiéis mas agora o Instituto Datafolha desenvolveu uma metodologia que dá numeros com aproximação bem maior a este tipo de contagem.
Resultado: a marcha para Jesus teve, na real, pouco mais de 350 mil participantes, contra os 6 milhões anunciados pela igreja organizadora.


Crentes tem problemas com números e as diferenças são sempre gigantescas.


Para eles a Terra e o universo tem algo como 10 mil anos de vida, mesmo com toda a ciência séria dizendo que na verdade tem um pouquinho mais, algo como 13,6 bilhões de anos.


E agora colocam 5.650.000 a mais na tal passeata, só para impressionar os fiéis.


Como se vê, igrejas não tem o menor compromisso com a verdade, convivem tranquilamente com a mentira desde que esta seja útil a seus propósitos.


Religião: se você pensar... cai fora.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Morreu, acabou.



Essa imagem ilustra muito bem uma frase que não me canso de repetir aqui no blog:


"Quem se preocupa menos com vidas passadas e futuras vive melhor esta".


As religiões fazem exatamente o contrário, geram nas pessoas uma tola preocupação com a vida futura, o céu, o inferno, o juizo final, o perdão.
Jamais houve uma só evidencia aceitável da existencia de uma vida espiritual após a morte do corpo físico.
E como no gráfico acima as pessoas não vão para o céu nem para o inferno, elas simplesmente morrem: seus corpos se desintegram, são reciclados pela natureza e sua consciência se extingue.

Todos deixamos nossa marca nessa incrível corrida de revezamento que é a vida mas
quando morremos não há mais dor nem prazer, apenas o nada.

Na Terra ficam as memorias, as saudades, os momentos.
Ficam as obras, os empreendimentos, a familia, os filhos.

Mas para quem morreu... acabou.
A vida é hoje, aproveite.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Cientologia ou cretinologia?



cientologia é um sistema de crenças fundado em 1952 pelo autor de ficção cientifica 
L. Ron Hubbard (1911-1986), nascido em Tilden, Nebraska). 
A cientologia foi oficializada em 1954. Esta religião baseia-se nos livros de Hubbard Dianética: A Moderna Ciência da Saúde (1950), Dianética: A Evolução da Ciência e Ciência da Sobrevivência.
Segundo a Cientologia há 75 milhões de anos vários planetas se reuniram numa "confederação das galáxias", governada por um líder maléfico chamado Xenu
Como os planetas estavam com problemas de superpopulação, Xenu mandou bilhões de seus habitantes para Terra, em espaçonaves parecidas com os Douglas DC-8, onde foram jogados dentro de vulcões (razão pela qual o livro dianética possui um vulcão na capa) e mortos com bombas de hidrogênio. 
Seus espíritos que foram recapturados e reunidos em cachos (como uvas, ou talvez bananas) - chamados de "thetans" (em português, "tetões") - que são hoje os seres humanos.
(fonte: Wikipedia)

Mitos da criação: qual a origem do sol?



A ignorância dos povos primitivos sobre a origem de tudo fez surgir em todas as partes do planeta os mais originais mitos da criação.
Para cada povo uma divindade criadora e uma historia.

A tribo TIV, da Nigéria, acredita que o sol e a lua são filhos do seu deus supremo, Awondo.

A tribo Barotse, do sudeste africano, acha que o sol é marido da lua.

No xintoísmo, religião japonesa, o sol é a deusa Amaterasu e a lua é seu irmão Ogetsuno.

Os incas acreditavam que o sol e a lua eram seus ancestrais.

Para os antigos povos gregos o sol era uma carruagem conduzida no céu pelo deus Helio.

Para os astecas existiram quatro mundos antes do nosso, que desapareceram um após o outro, destruídos por catástrofes forjadas pelos deuses.

Para os antigos egípcios a divindade criadora de tudo era RA, o deus sol, e a curva do céu era o corpo da deusa NUT, arqueado sobre a Terra.

Em alguns mitos o sol não é exatamente um deus mas uma de suas primeiras criações. Um dos mais conhecidos mitos desse tipo vem de uma pequena tribo hebreia do deserto do Oriente Médio, segundo o qual o deus tribal YHWH a tudo criou em seis dias, descansando no sétimo. YHWH conseguiu a proeza de criar a luz no segundo dia mas o sol apenas no quarto mas apesar de incoerências assim e do tom fantasioso e épico de sua descrição o mito dessa tribo espalhou-se e deu forma a uma poderosa religião, hoje majoritária no planeta.

Mitos: se você gosta, escolha um para você.

(fonte: A Magia da Realidade, R. Dawkins)

quarta-feira, 4 de julho de 2012

"Partícula de deus": o pior apelido da história da ciência.




Os cientistas parecem estar se aproximando rapidamente de uma importante descoberta no campo do chamado “modelo padrão”, teoria que ajuda a compreender todas as partículas e forças do universo, com exceção da gravidade.

Através de experiências em curso no LHC – maior colisor de partículas já construído pelo homem, na fronteira entre Suiça e França – os cientistas estão próximos de provar a existência do “Boson de Higgs”, uma partícula tão pequena que até hoje sua detecção não pode ser comprovada, há apenas indícios teóricos de sua presença na estrutura dos átomos.

O bóson de Higgs teria dado origem à massa de todas as outras partículas, se sua existência for confirmada, portanto, este é um passo importante da ciência na compreensão da origem de todos os objetos.

Em algum momento do passado, no entanto, a partícula foi apelidada de “partícula de deus”.
É só um apelido tolo que vem de um livro do físico ganhador do prêmio Nobel Leon Lederman, cujo esboço de título era "A Partícula Maldita" ("The Goddamn Particle", no original), em alusão às frustrações de tentar encontrá-la. 

O título foi, depois, cortado para "A Partícula de Deus" por seu editor, aparentemente temeroso de que a palavra "maldita" fosse ofensiva, gerasse protestos e afetasse as vendas do livro.

Não há absolutamente nada de divino na descoberta, estamos falando de ciência sub-atômica pura e "partícula de deus" é apenas um estúpido apelido dado pelo infeliz editor.


Muitos crentes, em sua suprema e inabalável ignorância, apregoam agora aos 4 ventos que a confirmação da descoberta seria a confirmação da existência de deus!!
Não, não e não!!
Aqui é ciência, irmão!



segunda-feira, 2 de julho de 2012

A culpa é sua, não dos ateus!



(tradução livre: Se você não quer que façamos graça com suas crenças... não tenha crenças tão engraçadas!)